terça-feira, 23 de junho de 2009

A fonte que não seca


O Ministério Público Federal e o Tribunal Regional Eleitoral decidiram investigar contratos entre a empresa Fonte Consultoria e Assessoria Empresarial Ltda e a Ulbra. Conforme auditoria realizada nas contas da universidade, a Fonte, empresa do deputado federal Eliseu Padilha (PMDB), recebeu - entre 2005 e 2008 - R$ 1,4 milhão. Mas não há comprovação de que a empresa de Padilha tenha executado algum serviço que justifique o pagamento.

Os indícios de irregularidades não param por aí. As notas fiscais emitidadas pela Fonte são sequenciais, isto é, a empresa de Padilha não emitiu nota para mais ninguém, só para Ulbra. A suspeita é de que a empresa tenha sido criada apenas para receber o dinheiro da universidade. Além disso, Padilha recebeu parte dos pagamentos durante a última campanha eleitoral, quando concorreu à reeleição.

A empresa Fonte também aparece nas investigações da Operação Solidária, que apura fraudes em licitações e contratos públicos, pois teria recebido R$ 267 mil da MAC Engenharia que, segundo as evidências, teria sido beneficiada no esquema das licitações falsificadas.

Nenhum comentário: