terça-feira, 10 de novembro de 2009

Esquema fraudulento pode estar em operação



Os 17 áudios da Operação Solidária que foram exibidos ontem em sessão sigilosa da CPI da Corrupção indicam que o esquema montado para fraudar obras públicas tem ramificações em municípios da Região Metropolitana e até cidades do interior do Estado. Nas gravações - conversas telefônicas envolvendo o secretário de Habitação, Marco Alba, o dono da Mac Engenharia, Marco Antônio Camino, e o ex-secretário de Canoas Chico Fraga - a relação de compadrio entre agentes públicos e privados é nítida. E o mais grave é que o esquema fraudulento pode estar ainda em operação.

Segundo a presidenta da CPI, há evidências de que o rombo produzido pela fraude em licitações públicas pode superar a casa dos R$ 300 milhões, como foi apurado pela Polícia Federal. “A partir das conversas que escutamos hoje, não é exagero supor que o desvio seja maior do que o noticiado”, apontou Stela Farias.

Um comentário:

Adir disse...

Putz, essa desgovernadora e seu bando são uns verdadeiros produtores de dutos e ralos de dinheiro público, e ainda vai se recandidatar?! Meus D'us!!!