quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Presidenta da CPI contesta governistas


A presidenta da CPI da Corrupção contestou a nota assinada pelos oito parlamentares governistas que integram a comissão, atribuindo ao PT o vazamento de informações sigilosas e defendendendo o fim do segredo de Justiça no processo originado pela Operação Solidária, da Polícia Federal.

“Repudiamos as acusações irresponsáveis de quem, até aqui, esteve ao lado daqueles que desviaram mais de R$ 340 milhões dos cofres públicos, afrontando a população gaúcha”, assinalou Stela Farias, afirmando que sempre defendeu o levantamento do sigilo frente ao interesse público, desde que não provoque prejuízos à investigação. “Se os deputados da base aliada estivessem, de fato imbuídos de verdadeiro interesse público, deveriam aprovar os mais de 29 requerimentos para convocar testemunhas e indiciados para que, confrontados com as próprias palavras gravadas nos áudios, possam exercer o direito à ampla defesa e ao contraditório”, frisou.

Para ela, a posição dos governistas é demagógica e configura mais uma tentativa de confundir a opinião pública, desviando as atenções das verdadeiras questões que devem ser respondidas pela CPI. “O que precisamos responder para a sociedade é quem são os responsáveis pelo desvio dos mais de R$ 340 milhões, quem acobertou o esquema criminoso, onde foi parar o dinheiro desviado dos cofres públicos e quais os mecanismos que o Estado deve adotar daqui para frente para aperfeiçoar os seus mecanismos de fiscalização e controle”, argumentou.

Nenhum comentário: