quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Façanha do governo Yeda é lembrada em homenagem à Semana Farroupilha


Em discurso realizado nesta quarta-feira (16), em homenagem à Semana Farroupilha, o deputado Ronaldo Zülke (PT) lembrou a maior façanha da governadora Yeda Crusius: ser a primeira chefe do Executivo gaúcho, em mais de um século de república, a sofrer um processo de impeachment. Aqui, alguns trechos:

Caros deputados e deputadas. Devemos honrar esse dia como devemos honrar nossa tradição. É o que fazemos aqui. Mas não estamos fazendo isso em um ano qualquer, em um momento qualquer. Para a nossa tristeza, nos foi destinado lembrar esses feitos marcantes de nossos antepassados em dias, com o perdão do trocadilho, de uma enorme pequenês de espírito que se abate sobre parte de nossa elite política. Nossa honraria não nos exime de dizer, com a mesma coragem que guiou Neto, em evidente minoria, à vitória na refrega nos campos de Seival, que vivemos dias que desmerecem nossa história.

Pela primeira vez, em mais de um século de república, um governante vai ter iniciado contra si um processo de impedimento no parlamento. Não porque, como insistem em dizer os governistas, a oposição é golpista ou coisa que o valha, mas porque as evidências de que a governadora tem vínculos sólidos com aqueles que, ao que tudo indica, são responsáveis por mais de R$ 300 milhões em desvios de recursos públicos nos últimos seis anos, estão expíicitas nos resultados das investigações que levaram a cabo a Polícia Federal e o Ministério Público Federal.

Não se trata aqui de uma disputa política, como quer fazer crer uma certa interpretação cínica que engessa a capacidade de realizar comparativos morais. Trata-se, isso sim, de uma crítica radical a uma conduta que submete a ‘res pública’ aos interesses privados, que vandaliza o exercício da democracia com a apropriação ilegítima da máquina do Estado para a realização de objetivos desonestos. Frear esse modelo de gestão, tão avassaladoramente manipulador dos interesses públicos, é, também, uma forma de honrar nossos heróis farroupilhas.

“Mas não basta, para ser livre,
Ser forte, aguerrido e bravo;
Povo que não tem virtude,
Acaba por ser escravo.”

Não, não basta fazer. Nem mesmo basta fazer com coragem. É preciso, como ensina nosso hino, fazer com virtude. E nos entristece ver que o governo do Rio Grande anda cada vez mais afastado da idéia de virtude, a ponto de esquecer as boas maneiras para dizer, com uma conduta claramente anti-democrática, que não aceita a investigação, que não quer a transparência, que não reconhece o direito do povo aos esclarecimentos.

Que esse Vinte de Setembro seja um novo farol de virtudes a iluminar as mentes dos que aqui representam o povo gaúcho, orgulhoso que é de nossas melhores tradições. Que recuperemos a capacidade de indignação com as injustiças e com a usurpação do poder, base de nossa grande revolução, e tenhamos coragem e honradez suficientes para sustentar a nossa própria liberdade.

Foi o acaso que juntou Neto, Bento e Garibaldi em um contexto histórico específico, permitindo a emergência de um raro momento mítico conhecido como revolução farroupilha. Mas esse movimento não existiria sem a decisão desses sujeitos em dedicar suas vidas a um projeto utópico, sem que esses personagens tivessem decidido muitas vezes em correr riscos por causa de seus ideais. Isso custou a vida de muitos, mas aqui estamos nós a dizer que valeu a pena porque hoje, depois de tantos anos, podemos falar com orgulho: somos gaúchos por nascimento e brasileiros por opção.

Não deixemos, pois, que essa bela epopéia de luta e honradez seja jogada na lata de lixo da história. Assim como nos reservou um momento fundacional há 174 anos, o acaso, essa intrincada junção de personagens e fatos, pode estar nos reservando o triste fim de uma tradição. A história nos brindou com uma forte identidade. Não permitemos que novos sujeitos desta mesma história a fragmetem, a adoeçam e, por fim, a aniquilem. Vamos resistir. Em nome do povo gaúcho. Em homenagem ao Vinte de Setembro.

2 comentários:

Anônimo disse...

Mandou bem!

Teresinha Carpes disse...

Quero aqui parabenizar o deputado Ronaldo Zulke,que sempre honrou o seu mandato!Infelizmente na Bandeirantes e na rádio Pampa,o deputado Zulke foi cruxificado,por causa do pronunciamento dele na Alergs!O Gustavo Victorino,hiena da Pampa,e mais uns da Bandeirantes,como o Milton Cardoso,Diego casapequena,na Guaiba,o hiena tão ruim quanto os outros que citei acima o Mendelscki,o professôr vampiro,dos demais,gosta de ver sangue!!!