segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Os poderes de Rosi


Clique nas imagens para ampliar

Ao recusar a convocação de Rosi Bernardes para depor na CPI, o relator Coffy Rodrigues negou que sua ex-colaborada fosse responsável por editais abrindo concorrências públicas. Entretanto, o deputado Raul Carrion (PCdoB) apresentou documento das secretarias de Obras e Extraordinária da Irrigação, referente ao edital para construção da barragem e Taquarembó, assinado pela engenheira Rosi.
Na opinião dos parlamentares da oposição, o material não deixa dúvidas de que Rosi Bernardes tinha poderes não só para subscrever documentos oficiais em nome do seu chefe - na época Coffy Rodrigues, então secretário de Obras - como também promovia alterações em editais para favorecer concorrentes, manipular e direcionar as licitações.

Assim como o secretário de Irrigação, Rogério Porto, Rosi é indiciada pela Operação Solidária.

Um comentário:

Anônimo disse...

Acho que os Deputados devem pedir ao CREA-RS a cassação do diploma deste engenheira falcatrua.