terça-feira, 1 de setembro de 2009

Plenitude


Ao apresentar seu roteiro de trabalho, a deputada Stela Farias reafirmou que vai exercer na "plenitude as prerrogativas da sua função de presidenta da CPI da Corrupção". Com o recado, Stela deixou claro que não pretende incorporar nenhuma sugestão apresentada pelo relator Coffy Rodrigues, ou por qualquer outro deputado, que considere antirregimental, anticonstitucional ou contrária à praxe adotada pela Assembleia em outras CPIs.

Até agora, há consenso sobre as reuniões ordinárias (todas as segundas, às 14h), as audiências extraordinárias (a presidenta poderá convocar sempre que julgar necessário), o tempo para as intervenções dos deputados (5 minutos), a guarda de documentos sigilosos e sobre o papel da procuradoria do Legislativo na assessoria jurídica.

Outros itens - como tempo de duração das sessões e o número de perguntas que cada deputado pode fazer aos depoentes - ainda serão debatidos na reunião de hoje.

Nenhum comentário: