quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Acima do deboche 2


Em entrevista coletiva concedida nesta manhã, a governadora Yeda Crusius voltou a declarar-se vítima da "oposição feroz" e de "ataques infundados e injustos". Pela primeira vez, Yeda falou publicamente sobre a aquisição, com dinheiro público, de objetos para sua casa particular. Questionada por um repórter sobre o procedimento, a governadora tascou: "os brigadianos que fazem a minha segurança, a segurança da minha casa e da minha família precisavam de abrigo".

Só faltou ela dizer que foram os policiais que vigiam a sua residência que escolheram a cor do pufe - verde kiwe -que a Casa Militar comprou e mandou entregar na sua casa. E que foram eles, também, que escolheram a loja onde o objeto foi comprado, uma das mais caras de Porto Alegre.

A governadora ainda disse que "vestiu as casas oficiais com muita parcimônia", que "não errou no Detran", e que "a população está solidária com ela".

Os institutos de pesquisa que detectaram uma rejeição récorde ao seu governo devem, portanto, ter ultrapassado a fronteira do Rio Grande do Sul e entrevistado cidadãos de outros estados e países. Talvez até de outro planeta.

Nenhum comentário: