quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Para Feijó, governadora está paranóica. Vice diz que gostaria de saber onde está Yeda


O vice-governador, Paulo Feijó, classificou a afirmação da governadora - que cancelou sua viagem aos Estados Unidos com a alegação de que temia um golpe - como "paranóia". Cercado de jornalistas, Feijó fez questão de relembrar as três vezes em que assumiu interinamente o Palácio Piratini. "Tudo ocorreu na maior tranquilidade; a estrutura funcionou normalmente. E se algum dia eu assumir novamente, assim será a minha conduta, como não poderia ser diferente ao vice-governador".

Para Feijó, ao plantar a idéia do golpe, a governadora quer tirar o foco do tema principal, isto é, das denúncias de corrupção na sua gestão. "Mas acredito que a sociedade está atenta e não vão conseguir acobertar o mau uso do dinheiro público", sustentou.

Ainda sobre o cancelamento da viagem da governadora ao exterior, como também da agenda em São Paulo, Feijó disparou: "como vice-governador e eleitor gostaria de saber onde a governadora está neste momento.

Um comentário:

Gustavo R. Nunes disse...

O atual Governo do Estado tem por costume demitir estagiários, apenas pela sua opção partidária, ou seja, se não for da BASE, cai fora, ou entra em estado paranóide.

Uma espécie de perseguição para que elas mesmas optem por sair. Muitas pessoas fracas de personalidade acabam caindo nessa artimanha do governo e, assim, complicam sua situação psicológica.

Por outro lado, pelo que tem acontecido, o feitiço está virando contra o feiticeiro.

Yeda...
Faz da gravata
a forca
a fina veste
é tua mortalha
e teu birô
o teu esquife

Do gabinete ao túmulo
vade retro burocrata