quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Agora vai


O Tribunal Regional Federal liberou os documentos da Operação Solidária para a CPI da Corrupção. A decisão foi anunciada no começo da tarde desta quinta-feira (15).

Para quem não se lembra, a Operação Solidária começou investigando irregularidades na aquisição de merenda escolar no município de Canoas, durante a gestão do tucano Marcos Ronchetti, e acabou descobrindo uma série de falcatruas em licitações de obras sob responsabilidade do Estado. As irregularidades nas licitações das barragens Jaquari e Taquarembó são exemplos disso.

A apuração feita pela Polícia Federal já rendeu o indiciamento do secretário de Irrigação, Rogério Porto, e de Chico Fraga, ex-secretário de Canoas e um dos coordenadores da transição do governo Yeda, entre outras.

2 comentários:

Gustavo R. Nunes disse...

Barragens requerem outorgas, essas liberadas pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente ou da FEPAM...

Em 2007, o Secretário Estadual do Meio Ambiente era o Otaviano Brenner de Moraes... E na FEPAM, a presidente era a Ana Pelini...

O Otaviano estava há pouco na pasta da transparência.. E a Ana Pelini angariou um cargo lá dentro do Piratini também...

Já o Francisco Simões Pires... Secretário Adjunto de Otaviano na era SEMA, também foi junto para a Transparência... Hoje, não se sabe seu paradeiro...

No entanto, o responsável pelas outorgas se chama Ivo Mello.

Me lembro que essas barragens tinham difícil acesso para obter informações mesmo para aqueles que trabalhavam na própria assessoria de imprensa da instituição.

O que dizer não?

elektrofossile disse...

Ixe! O Circo vai pegar fogo. Gaúchas e gaúchos: Povo que não tem virtude, acaba por ser escravo!