segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Mais uma vez, base de Yeda impede quórum na CPI


Mais uma vez, os deputados que integram a base da governadora no Legislativo não permitiram quórum para a CPI da Corrupção votar requerimentos para ouvir testemunhas ou requisitar documentos. No início da sessão desta segunda-feira (5), o deputado Daniel Bordignon (PT) solicitou que a presidenta da CPI, Stela Farias (PT) fizesse a leitura das solicitações que não foram apreciadas pela falta de parlamentares na reunião e denunciou o comportamento dos yedistas. "O acordo firmado com a base da governadora não comprometeu estes deputados com os trabalhos da CPI. Eles continuam impedindo o andamento das investigações. Foi um acordo para inglês ver", alertou Bordignon.

Entre os requerimentos que não foram votados estão o convite aos deputados federais Eliseu Padilha (PMDB) e José Otávio Germano (PP); a convocação dos ex-presidentes do Detran Carlos Ubiratan dos Santos e Flávio Vaz Netto e também de Walna Villarins Menezes, ex-assessora especial da governadora; Delson Martini, ex-secretário Geral do Governo; Rosi Bernardes, ex-secretária adjunta de Obras; Chico Fraga, ex-secretário de Canoas, entre outros.

Também não foi analisdo o requerimento que autoriza a CPI a requisitar documentos relativos à compensação de créditos tributários de empresas fumageiras que contribuíram para a campanha tucana, e à Operação Solidária.

Entretanto, como depois da verificação do quórum os deputados aliados da governadora chegaram no plenarinho, o deputado Ronaldo Zulke (PT) propôs que, ainda hoje, a presidenta convoque uma sessão extraordinária para depois das oitivas e coloque os requerimentos em votação. Resta saber se eles ficarão até o fim.

Nenhum comentário: