quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Não sei, não quero saber e tenho raiva de quem sabe


O atual presidente do Detran, Sérgio Filomena, não sabe que empresas que contratou para atuarrem junto à autarquia. Ele está depondo agora à noite na CPI da Corrupção e não soube informar se a Fundae, fundação contratada para aplicar provas de habilitação de motoristas, terceiriza serviços.

A terceirização de serviços praticada pelas fundações que atuam junto ao Detran (Fatec e Fundae) foi, conforme a CPI do Detran, o ralo por onde foram desviados mais de R$ 44 milhões da autarquia.

Perguntado pelo deputado Daniel Bordignon (PT), Filomena também não soube informar qual a empresa que atua junto ao Centro de Remoção e Depósito – Disque Detran. O parlamentar informou que se trata da empresa Proteporte, contratada sem licitação pelo próprio Filomena em 20 de agosto.

A Proteporte substituiu a Plansul, impedida pela Justiça de manter contrato com o Poder Público em função de contratação de funcionários a partir de indicações políticas. A nova empresa absorveu grande parte dos empregados da antiga prestadora de serviços. “Esta situação pode significar que antigos beneficiários do esquema fraudulento implantado no Detran tenham dado um jeito de continuar atuando junto ao Estado”, avaliou Bordignon.

Nenhum comentário: