segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Bastaram cinco minutos para Buchmann


Em cinco minutos de depoimento, o ex-presidente do Detran Sérgio Buchmann confirmou o que já tinha revelado ao Ministério Público, ou seja, que o secretário adjunto da Administração, Genilton Macedo Ribeiro, mandou ele evitar a imprensa e falou que a governadora estava sendo chantageada por Lair Ferst, Carlos Crusius e Flavio Vaz Netto em função da fraude no Detran e da disputa pelo controle da propina.

Buchmann também afirmou que Genilton Ribeiro lhe confidenciou que o verdadeiro proprietário da empresa Atento era "o Bira vermelho" - apelido Carlos Ubiratan dos Santos, que o deputado José Otávio Germano estaria "por trás de Bira" e que "já sabia da casa desde a campanha".

Segundo Buchmann, quando Ribeiro recomendou que ele não falasse mais com os jornalistas, ele pergunrou por que tinha sido escolhido para presidir a autarquia. A resposta do secretário adjunto de Administração foi direta: "porque tu tens fachada de honesto".

Com 34 anos de serviços prestados ao Estado, Buchmann disse que o único motivo que o levou a procurar o MP foi o compromisso com a verdade.

Um comentário:

Anônimo disse...

não entendo porque o servidor honesto, que denuncia a corrupção do Detran-RS, é o único punido com a perda do cargo, o único a ter questionada a sua integridade profissional, bem como sua sanidade... O sr. Buchmann merece toda credibilidade, pois é o único que pôs a cara a tapa e por isso mesmo é alvo de processos por difamação...
pobre Estado, pobres cidadãos de memória curta. sejamos coerentes e verdadeiros nas próximas eleições!